Botão Home
Botão de Cadastro
Botão Meus Pedidos
Botão Quem Somos
Botão Contato
Botão Ajuda
inicio dos menus de conteúdos
Dicas
Novidades
fim dos menus de conteúdosinicio dos menus de produtos CAPACETES
       AGV
       CMS
       GDR
       MT
       HJC
       NORISK
       LS2
       SHOX
EQUIPAMENTOS
       CALÇAS MOTOCROSS
       CAMISAS MOTOCROSS
       JOELHEIRAS
       BOTAS
       LUVAS
       JAQUETAS
       CALÇAS
       MACACÃO
Viseiras
       AGV
       BLACKBLADE/NASA SH821
       CMS
       MT HELMETS
       LS2
       NORISK
       ZEUS
       HJC
PARA SEU CAPACETE
       FORRAÇÃO INTERNA
       ENTRADA DE AR
       FIXADOR DE VISEIRA
       NARIGUEIRA
       PALAS DE CAPACETES
       BIQUEIRA DE CAPACETES
PARA SUA MOTO
       GRÁFICOS NACIONAIS
       ADESIVOS
       COROA
       PINHÃO
       GUIDÃO
       REMOVEDOR DE LAMA
       CAPA DE BANCO
Acessórios
       MOCHILAS E MALAS
       COMUNICADORES
       GUARDA SOL/CHUVA
CASUAL
       BONÉS/TOUCAS
       MOLETONS
       CAMISETAS
       MEIAS
fim dos menus de produtos
 

 

 
espaço O Capacete      Código de defesa do consumidor
 
   
  Validade de seu Capacete


Parecer nº 039/2006

REQUERENTE: Presidente do Conselho Estadual de Trânsito
ASSUNTO: Validade do capacete de segurança para motocicletas e similares.

Determina o Presidente do Cetran, parecer sobre o prazo de validade dos capacetes de segurança utilizados para a condução de motocicletas e similares, considerando que agentes de trânsito estariam autuando condutores dos referidos veículos por infração capitulada no art. 244, I do Código de Trânsito Brasileiro quando da verificação da suposta validade vencida dos mesmos.

Após consulta realizada junto ao Instituto Nacional de Tecnologia - Divisão de Certificação de Produtos do Estado do Rio de Janeiro, Organismo este de Certificação de Produtos credenciado pelo INMETRO para a certificação de capacetes para ocupantes de motocicletas e similares, obtivemos a resposta do referido órgão que a norma NBR 7471/2001 - Capacetes para ocupantes de motocicletas e similares, que rege os ensaios para a avaliação da conformidade e a Portaria 086, de 24/04/02, do Inmetro que regulamenta a certificação destes produtos, não faz qualquer previsão quanto a especificação da validade do produto. De acordo com o referido órgão, é necessário constar a data de fabricação do capacete, porém os fabricantes colocam além da data de fabricação, uma data de validade nos rótulos, dentro dos capacetes, sendo que não há exigências específicas nos procedimentos de certificação a este respeito (data de validade).

No mesmo sentido, a Taurus Capacetes Ltda., uma das maiores fábricas de capacetes para motocicletas do Brasil, nos responde que não há na legislação brasileira, a Resolução n° 20 do Código de Trânsito Brasileiro, nem na definição técnica da norma NBR 7471/2001 do Inmetro qualquer menção sobre o prazo de validade dos capacetes motociclísticos pelo simples motivo de não tratar-se de um produto perecível.

Conforme salienta ainda a referida Empresa, as datas colocadas nas etiquetas dos mesmos existem devido a uma sugestão ao usuário de que o produto deveria ser substituído após três anos de uso contínuo. Ou seja, a partir do momento que é retirado da caixa e efetivamente utilizado continuamente durante o período indicado por pelo menos 12 horas diárias.O principal motivo da substituição do capacete após esse período, desde que não tenha sofrido nenhuma queda, não está relacionado à perda de suas características protetivas, e sim à diminuição da altura das espumas, que formam a forração interna do capacete. O achatamento faz com que o capacete fique folgado na cabeça do usuário, girando em todos os sentidos e prejudicando, assim, a sua segurança.

No caso dos capacetes importados, em função da formulação diferenciada das espumas, estas se transformam em pequenos pedaços, como flocos, causando o mesmo efeito comentado no parágrafo anterior após cinco anos de uso. A informação consta também na etiqueta do produto.Portanto, capacetes que são utilizados esporadicamente podem durar períodos mais longos desde que:

a) não tenham sofrido quedas;
b) sejam utilizadas peças originais;
c) o ajuste interno ainda esteja firme, evitando que o capacete gire na cabeça;
d) sejam fabricados por empresas idôneas e possuam o respectivo selo de certificação do Inmetro."

Sendo assim, conforme o exposto, conclui-se que o agente de trânsito quando em atividades de fiscalização de trânsito, não dispõe dos meios necessários para afirmar que determinado capacete está com sua validade vencida, apenas podendo ser verificado tal requisito em laboratórios apropriados para tal fim.

ANDRÉ GOMES
BRAGA
CONSELHEIRO CETRAN

 
 
   
 
   

voltar

formas de pagamento pag seguro
espaço
Receba Novidades Promoções e News por e-mail: 
:.home.: | :.minha conta.: | :.política de privacidade.: | :.ajuda.: | :.contato.:
contato: ocapacete@ocapacete.com.br | Fone 11 2994-3128

copyright © 2014 - todos os direitos reservados - produzido por
www.o2ew.com.br.